ABRH-PR aponta caminhos para atuar de forma certeira na saúde do trabalho durante a Pandemia

O chamado “novo normal” tem acertado em cheio aos colaboradores. Um estudo feito pelo Instituto de Psicologia da Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) apontou que os casos de depressão praticamente dobraram desde o início da quarentena. Para Gilmar Andrade, vice-presidente da ABRH-PR, é preciso perceber as mudanças na equipe para então poder atuar de forma certeira na saúde do trabalho. “No início da pandemia, não tenho dúvida, que o rendimento das empresas caiu, mas foi necessário adotar estratégias para recuperar esta perda e prestar auxílio aos funcionários, como o envio de aparelhos e móveis, em casos de home office” explica.

 

Compreender e ter paciência é apenas o começo para que os colaboradores sintam os efeitos da quarentena de maneira mais amena. É preciso ainda compreender que cada um lida de uma forma com todas estas mudanças. Para manter a sanidade e o relacionamento interpessoal sé necessário buscar a integração de todos. Segundo Gilmar Andrade, este período de afastamento das pessoas e mudanças de rotina tende a passar e assim muito do que foi vivido durante a pandemia deverá se tornar apenas um aprendizado. “Faz parte da cultura da empresa se reunir, tomar um café, ir para um ambiente mais descontraído para socializar e para voltar com mais ênfase no trabalho. Isso tende a voltar aos poucos, as empresas já têm buscado políticas híbridas de trabalho e com isso as alterações de humor e até de respostas de funcionários e gestores tendem a voltar ao normal” completa.

 

Confira o conteúdo completo na matéria veiculada pela Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná (AERP) – https://bit.ly/2R9HpCB