“Meu foco é sempre as pessoas”

A frase acima, dita pela empresária e fundadora de uma das mais importantes redes hoteleiras do Brasil, a Blue Tree Hotels, Chieko Aoki, resume bem a sua filosofia de vida e de trabalho. Com base em um lema da Madre Thereza de Calcutá “não deixe jamais que alguém que chegou até você, ir embora, sem sentir-se melhor ou mais feliz”, Chieko explica que a tecnologia é um meio para servir as pessoas, proporcionando uma sociedade mais humana e leve. Associados à ABRH-PR têm descontos para o ingresso do evento.

 

A empresária fará a palestra “Gestão com valores e propósito”, na terça-feira (10), às 9h45, no Teatro Positivo, em que abordará a importância da humanidade e da Inteligência Emocional na gestão corporativa. “A tecnologia está transformando rapidamente o modo de viver, trabalhar, produzir e criar coisas. É um mundo centrado no maior conforto, qualidade de vida e bem viver das pessoas. Como foi previsto por John Naisbitt há mais de dez anos, o high tech, high touch. Uma sociedade onde valores como a sustentabilidade, o meio-ambiente, propósito, sonhos ambiciosos pelo bem-estar das pessoas serão cada vez mais importantes”, explica.

 

E esse conceito passa pelas empresas. É importante o engajamento dos gestores na busca não apenas da lucratividade, mas também da motivação e do propósito. “É o ikigai. O ikigai da Blue Tree é inspirar e contribuir com o bem-cuidar de uns aos outros, no Brasil, para o desenvolvimento de uma convivência harmônica, conectada pela tecnologia e pelas emoções humanas”, complementa Chieko. Este pensamento está alinhado às definições da Sociedade 5.0, uma tendência mundial, das ações centradas na humanidade, a human centered society. A tecnologia utilizada para beneficiar e gerir o tempo, a qualidade de vida e as experiências das pessoas.

 

Chieko acredita que o Brasil já vive em um mercado competitivo de alto nível no que diz respeito à tecnologia e inovação. Mas, alerta para os problemas históricos do país: a desigualdade social, educação deficiente, alta burocracia e problemas logísticos. “É disso que o país precisa:  pessoas conscientes dos problemas e determinadas a ajudar a sociedade e a nação a atingir outro patamar de igualdade através da tecnologia que facilite ou viabilize soluções às situações que vivemos”. E cada vez mais as empresas estão buscando profissionais com esse perfil. Éticos, engajados, conectados pela emoção, preocupados com o legado e com espírito de compartilhamento. O comportamento e os valores passaram a ter um peso maior que um currículo técnico e acadêmico. É uma nova era.



Deixe uma resposta