Reforma trabalhista e o impacto para os gestores de pessoas

Reforma trabalhista e o impacto para os gestores de pessoas

O desembargador Sérgio Murilo Rodrigues Lemos, do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo, foi responsável por abordar o tema “Reflexões sobre a Reforma Trabalhista”, durante o XV Congresso Paranaense de Recursos Humanos (CONPARH), o maior evento de gestão de pessoas do Paraná. Ele tratou dos aspectos que os gestores de pessoas terão com as mudanças nas formas de relação do trabalhador e das empresas.

 

Comentou algumas vertentes da modernização da legislação trabalhista sob a ótica dos avanços tecnológicos e das mudanças sociais, citando as alterações nas férias, remuneração por produtividade, controle do trabalho temporário, terceirização de atividades fins. Colocou que a reforma pode trazer redução dos custos contratação com o teletrabalho e rompimento de pacto por acordo. E, por fim, a questão de que redução do número de reclamações trabalhistas, com a introdução da sucumbência no processo de trabalho. Estudos apontam que a redução pode chegar a 50%.

 

Sugeriu aos gestores de pessoas que a reforma trabalhista impõe novos desafios e maiores exigências e, com certeza, mais responsabilidade. Disse que os gestores de recursos humanos devem ter uma participação ativa e contribuição decisiva para a melhoria da produtividade dos resultados gerais e manter relações sustentáveis nos mais variados níveis hierárquicos. Caberá ainda aos gestores de pessoas disseminar a cultura e alinhas as políticas de RH às estratégias da empresa.